sábado, 14 de outubro de 2017

À Guerra Vou Que Vou Retado












Num mundo de caos mergulhado
Até a alma fissurado
No desejo mais esfomeado
Sem cobre quebrado
O coração flechado

O sonho entranhado
O cabelo ruim
Já soa o bélico clarim
A ventania do endiabrado

Guerreiro da mata, pintado
Na dura arena desafiado
Vou à guerra desembestado

Sobrevivendo a odiosa tortura
De por um na redoma da loucura
Sem trégua, no contexto infernal

Cruzando denso lamaçal
Trevas tenebrosas ofuscantes
Seara de espinhos cortantes
Rio de mortais criaturas
Desertos de frio e quentura
O mar de tantos afogados
Tantas noites de azoado  

E entre erupções vulcânicas
Vêm hordas satânicas
Fogos cuspidos dos dragões
Enxames de venenosos ferrões

Resistindo na fétida fumaça
No campo de batalha de desgraças
Entre gritos, choros, gemidos
Xingamentos e pragas de ensandecidos
De explodidos, estilhaçados
De queimados,  chamuscados

Punhal dourado do lado
O revólver engatilhado
A lança de ponta afiada
A cruz na espada encravada

Na paixão maior turbinado
Vou que vou à guerra retado

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Dureza
















Branca do cabelo liso
Que já gosta de pentear
Pego ela no Baixo contudo
O pai brancão começa a gritar

Larga ela aí
Larga ela aí
Cê quer o quê?

Lhe beijar no  batom
De qualquer cor
Mordiscar sua bochecha
E que ela me leve pro céu


Seu pai não gosta de mim
Mas do meu Black Power ela gosta
No meu Black Power ela se enrosca
Ela acaricia meu Black Power

Ela beija meu Black Power

Branca do cabelo liso
Que já gosta de pentear
Pego ela no Baixo contudo
Seu Brancão começa a gritar

Larga ela aí
Larga ela aí
Cê quer o quê?

Lhe beijar no batom
De qualquer cor
E mordiscar sua bochecha
E que ela me leve pro céu

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Buraco Negro




















Desde a sineta a tocar
Com aquele som a me zoar
Podem me atormentar
Do meu cabelo querer arrancar
Posso me avermelhar
Três milhas e tanto andar
Mas buraco negro não vai me devorar


Posso sonhar de pesadelo virar
E me dar num circo que se armar
De palhaço posso até me botar
Alguma tristeza experimentar
Posso até tentar um céu alcançar
E num inferno então ir penar
Mas buraco negro não vai me devorar


E numa fissura de latejar
Posso até pirar de desejar
Numa fossa posso até me jogar
Ficar louco de me internar
De até nu em público ficar
Do prédio até querer pular
Mas buraco negro não vai me devorar


Um mundo pode sacanear
Eu total posso me descontrolar
De até a mente transtornar
Mil micos posso assim pagar
Umas viadagens mesmo aprontar
De arrependido até chorar
Mas buraco negro não vai me devorar


Posso todo álcool tomar
Toda fumaça posso tragar
Todo pó eu posso aspirar
E todo inalante cheirar
Mil e tantas noites virar
Na rua posso até ir morar
Mas buraco negro não vai me devorar


Pode Deus a força mandar
Posso até uns OVNIs avistar
Almas virem comigo falar
Posso no Abaeté até mergulhar
Pode a Luz vir me encontrar
Qualquer eureca posso gritar
Mas buraco negro não vai me devorar


Mil letras eu posso armar
Mil poemas posso versejar
Toda prosa posso contar
Posso mil quadros pintar
Posso cantar a me esgoelar
Mas também posso me calar
Mas buraco negro não vai me devorar

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Na Sequência do Gameta












I

A gente luta para vencer
Desde gameta lançado
No instinto determinado
Na busca de alcançar
O lugar onde vai ser
A nova vida a pulsar
Daí é que então vem a nascer
Para os seus, para seu lar
Para se dar, pra crescer
Se admirar, perguntar
Brincar, cair, levantar
E chega o tempo escolar

Aí vai estudar, conhecer
Se formar trabalhar
De alguém gostar, se casar
Vai construir o seu lar
Com seu amor pode fazer
Nova vida pra cuidar

E encarando assim seu batente
Por sua sobrevivência
Também da sua gente
Para crescer com decência
Com um futuro a trilhar
E com as demandas lidar

E assim se vai vivendo e aprendendo
Se vai amadurecendo
Com suas experiências
Com as lições aprendidas
Evolui com consciência
No seu sentido de vida

Aí então vai envelhecer
E assim se aposentar
Na cadeira descansar
Remédios, algum lazer
Uns netos vão alegrar
E o tempo mais pra pensar  

II

Mas quando o cara é sonhador
Daquele sonho sonhado
Remoto n’alma entranhado
Na mente lá como for
De em mais nada pensar
Pode outro rumo tomar

Pois pode ao sonho se entregar
Naquela de só tentar
E mais se desafiado
Pode querer de danar
Fazer-se ao mundo jogado
Pro sonho realizar

E quanto mais que acreditar
vai mais se obcecar
mais vai se determinar
e pode se atropelar
ante as barras que são
e tanta vã ilusão

difícil é e tem que lutar
vai tanto se desgastar
e se sobrecarregar
e mais se atribular
tem que se fazer de aço
pra não perder pro cansaço

que há enredos de se embrenhar
passos errados a dar
de os planos atrapalhar
que exige mais labutar
e bem mais pode instigar
do objetivo alcançar

e nunca cessa sua vontade
botando fé de verdade
algo se capacitando
num saber se acumulando
e nunca pensa em parar
até seu sonho rolar

III

Eu fui sonhar na beira do mar
Um vento de derrubar
Lobisomem me marcou
A onça o bote armou
Como devora bem sei
Pela estrada me mandei

Eu fui longe no sonho tentando
E nuns biscates ralando
De carro fui guardador
Também serviços gerais
E outros trampos mais

Mas se faz mais prolongada a estrada
Em perigosas passadas
De tão dura provação
De se prostrar um no chão
Que só a luz no momento
Pra renovar o alento

Aí que fica bom de verdade
Mais turbinada a vontade
Renova a motivação
Com toda a iluminação
Qual pedra filosofal
Pra fazer o mais legal

Daí que então já em seu lugar
Enquanto a descansar
Seu sonho vai lapidar
Com toda inspiração
E exata convicção
No que vai se projetar

Lhe vem novas manhãs radiantes
Com aquele sol mais brilhante
Sonho já realidade
E nas histórias, verdade
Revelando o amor

Na luz do seu esplendor

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Na Rota das Estrelas










De seu mais traumático incidente

Que o fez em confusos sentimentos

Afetivos, profundos, complexos

Sentindo-se no mais atiçado

Resguardou-se no seu plano

Tramando em si seu intento

De se fazer valer seu sonho



E buscando o brilho resplandecente divino

Procurou encontrar a rota das estrelas

Um caminho íngreme, tortuoso, espinhoso

E seguia, ora curtindo, ora passando umas

Amando, desamando, se enganando, se desenganando

Voando, tropeçando, caindo, rastejando

Pelos vales das tentações, das armações

Dos atrasos, das ilusões, das perdições



Mas seguindo já bem longe na rota

Errando, acertando, sorrindo, chorando

Se deparou com Grande Líder Espiritual

Com quem se fez assim consultar

E com Sua luz a lhe transpassar

Fez-lhe ver sua condição humana infernizada

Enfeitiçado, mandingado, vuduzado

Encostos de espíritos perturbadores

Legiões de danados, e o imundo a rondar

Um lunático, obcecado, errante



E lhe foi ordenado não mais errar e orar



Era o brilho resplandecente divino

Que houvera alcançado então



E segue a Luz no se abster e cantar

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Quando a Gente Se Apaixona















Quando a gente se apaixona
é romântico namorar
se sente algo de verdade
sente até felicidade
que transparece no semblante
nesses tão bons instantes

A vida se faz mais bela
em cores mais radiantes
e ficamos mais amantes
totalmente enamorados
num mundo encantado

Quando a gente se apaixona
a pessoa amada é tudo
todo nosso amor lhe juramos
as mais doces palavras lhe falamos
é tão  prazeroso acariciar
e os beijos são de extasiar

É como ter todo o bem alcançado
e queremos esse amor eternizar
logo desejamos casar
como num conto de fadas se condiz
na ânsia do final feliz

Quando a gente se apaixona
até agonia pensar uma dia acabar
chega angustia imaginar
mesmo lágrimas podem rolar
insegurança, cenas de ciúme, baratinos
barracos, escândalos, desatinos

É sentimento da mais forte emoção
vai profundo no coração
envolve até a razão
toma todo o ser
e tudo pode acontecer

terça-feira, 2 de maio de 2017

O VALOR DA RAÇA






















Triste, o preconceito
Agride com desrespeito
Indecência, desamor
A raça da negra cor

Pele negra não é defeito
Mas, sim, o preconceito
Cabelo duro é da Natureza
Diversa em sua beleza

O Negro é ser humano
De ancestral africano
De descendentes mal tratados
Tão cruelmente escravizados

Gente precisa é pegar visão
Ter mais clara compreensão
Para rever seus conceitos
Preconcebidos, imperfeitos

Gente precisa é mudar a postura
Somos também divinas criaturas
Constituídos desde a poeira estelar
Somos vidas do Cosmos a vibrar

Triste, o preconceito
Agride com desrespeito
Indecência, desamor
A raça da negra cor

É raça de almas valorosas
Vidas de histórias honrosas
Astros de façanhas notórias
Nomes marcados na História

Destacam-se grandes nos anais
Luther King , Mandela e outros mais
O nosso herói Zumbi, o rei Pelé
O admirável Obama, Tutu da fé

Hendrix,  Marley , Gil
Assim, outros mais de mil
Que com inteligência, talento e amor
Afirmam da raça seu elevado valor

sábado, 29 de abril de 2017

TEMPO BOM !



















Desde um tempo ruim a lutar
o velho sonho a tentar
por fé e correria
enfim a rolar

Bom agora o tempo está

de estalar cantos no ar
passado o vendaval da ventania
nada nem ninguém pra atravancar

Desde um tempo ruim a lutar

o velho sonho a tentar
por Deus em sintonia
enfim a rolar

O sonho flui natural no ar

como nascente a brotar
seu som de água envia
no seu destino de mar

Desde um tempo adverso a lutar

o velho sonho a tentar
pela Luz que se irradia
enfim a rolar

N'é nada fácil se apurar

tanto ralar, tanto passar
mas vem no sonho essa doce magia
da natureza divina no ar 

segunda-feira, 17 de abril de 2017

SÓ JESUS NA CAUSA, MEU IRMÃO !


















Você está sofrendo sem razão

Está se consumindo na piração

E que não caia em perdição 


Mas já sofre o abatido coração

Na mais triste condição

Que só Jesus na causa, meu irmão!


Só Jesus na causa, meu irmão!



Você sofre por querer e desilusão

Por desejo em fissuração

Por azoação, mangação

Por tortura em sujeição



Sofre preso pelo arpão

Obsessão , obstinação

Pelo feitiço pra tentação

No olho do furacão



Mas já sofre o abatido coração

Na mais triste condição

Que só Jesus na causa, meu irmão!



Sofre pelo mundo desconcertado

Pelo vento em raio armado

Pelo seu beijo roubado

Por ter de palhaço dado



Sofre por seu vício impregnado

Num algo ruim em ti instalado

Pelo que fez tonto de errado

Irreversivelmente consumado



Mas já sofre o abatido coração

Na mais triste condição

Que só Jesus na causa, meu irmão!



Quem sabe na fé, tudo venha a calhar!

Então faça por onde Jesus lhe ajudar

                                              Lhe aliviar

                                              Lhe libertar

                                              Lhe alegrar



Você está sofrendo sem razão

Está se consumindo na piração

E que não caia em perdição 


Mas já sofre o abatido coração

Na mais triste condição

Que só Jesus na causa, meu irmão!


Só Jesus na causa, meu irmão!

terça-feira, 7 de março de 2017

JESUS É LIGAÇÃO

















Meu camarada, meu irmão
n'é nada disso não
Jesus é ligação
não alienação

Não precisa ser religião
são toques ao coração
nesse mundo de perdição
é Luz em clarão
que ilumina na escuridão

É  bálsamo, unção, consolação
que alivia a dor nesse mundo cão
 é a amável guarida
da criatura perdida
é definitiva solução
eterna inspiração

É feliz sintonia
para viver plena harmonia
é a mais justa filosofia
na lida do dia-a-dia

Não precisa ser fanático
ante ser tão fantástico
mas bem pode ser fã
da verdadeira Estrela da Manhã
a potência a nós servida
pra viver melhor a vida